·         Ministros da Comunhão

  • Atividades: Os ministros extraordinários da comunhão surgiram na Igreja Católica após o Concílio Vaticano II, como resposta à escassez de ministros ordenados, e à necessidade de pessoas que pudessem auxiliar os ministros ordenados na distribuição da comunhão em diversas circunstâncias, tarefa que para muitos se tornava demasiado extenuante devido ao tempo e esforço dispendido. A introdução de ministros leigos que pudessem auxiliar na ausência de outros ministros ordenados teve como finalidade trazer mais eficácia e dignidade à distribuição da Eucaristia.
  • A Eucaristia é “fonte e centro de toda a vida cristã”, de tal forma que se pode afirmar que “a Igreja vive da Eucaristia”. Neste sentido, o serviço litúrgico dos ministros extraordinários da comunhão deve ser entendido como expressão do cuidado pastoral para promover a devoção ao mistério eucarístico. Cabe aos ministros, zelar pelo corpo Santo de Jesus que se faz presente na Eucaristia e ministra-lo aos fieis.