A influência da pandemia na família: por um cuidado pastoral no estilo de comunhão familiar

Gabriella Gambino no webinar do CCEE “Família: para um ministério missionário e de comunhão”

A Comissão Família e Vida do CCEE (Conselho das Conferências Episcopais da Europa) convidou os representantes das Conferências Episcopais de toda a Europa para o primeiro encontro oficial online dos bispos delegados da pastoral familiar sobre o tema Família: para o missionário e pastoral de comunhão.

50 participantes, oriundos de 28 Conferências Episcopais de toda a Europa, marcaram assim um encontro na Internet para o encontro online , a 5 de maio de 2021. O encontro foi aberto com as saudações de SE Mons. Arūnas Poniškaitis, Vice-Presidente da Família e Comissão de Vida e Pe. Martin Michalíček, Secretário Geral da CCEE.

O primeiro relatório, intitulado ” A Influência da Pandemia na Família: Para uma Pastoral no Estilo de Comunhão Familiar “, foi feito pela Profa. Gabriella Gambino, Subsecretária do Dicastério para os Leigos, Família e Vida. Partindo de uma análise aprofundada da situação social atual e do impacto que a pandemia teve e está tendo nas famílias e na Igreja, o Prof. Gambino sublinhou a importância da vocação da família na Igreja e o papel que ela pode ter ao propor um estilo de comunhão a partir do próprio testemunho concreto de vida. 

A família tem, de facto, uma vocação missionária específica, que nasce do Baptismo e do Matrimónio, o que a torna presença sacramental de Cristo no mundo, como indica Amoris Laetitia, e, como tal, não só destinatária, mas protagonista e sujeito. ação pastoral.
Gambino esperava, assim, um empenho na Igreja sob a bandeira da comunhão como estilo de trabalho, que supere as dificuldades de envolver os leigos, em particular os esposos, na pastoral familiar e contribua para a construção de uma vida eclesial ”. «:« para tal, o primeiro passo é dedicar-se à formação dos leigos, em particular dos cônjuges e jovens, para que compreendam a importância da própria missão eclesial. Podem ser de grande ajuda os grupos e todas aquelas realidades, inclusive paroquiais, que contribuem para formar famílias com continuidade na importância de dedicar seu tempo à missão e à vida da Igreja ”.

Só assim podemos “imaginar uma Igreja-Comunhão em ação: uma pastoral com as famílias que, a partir da comunhão esponsal, se traduza em um estilo pastoral compartilhado e unitivo, em complementaridade e comunhão entre as vocações. O papa nos lembrou várias vezes que, especialmente ‘neste tempo ninguém é salvo sozinho’. Nem mesmo a Igreja: ela precisa do seu povo, das suas famílias, do seu modelo de vida e de amor, que saiba estar perto dos em dificuldade ”.

Fonte.: http://www.laityfamilylife.va/content/laityfamilylife/it/news/amorislaetitia/l_influsso-della-pandemia-sulla-famiglia.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *