Rua Batolomeu de Ribeira, 33 Jaguaré
05330-010 São Paulo SP

011-3768-2781

E-mail.: paroquiasaojosejaguare@gmail.com

A história por trás do “óleo da misericórdia”

Uma antiga lenda judaica lembra a saga de Adão para encontrar o “óleo da misericórdia” e, assim, ser curado de uma enfermidade

Em uma homilia de 2010, o Papa Bento XVI lembrou uma antiga lenda judaica que mostrava Adão procurando o “óleo da misericórdia”:

“Uma antiga lenda judaica, tirada do livro apócrifo ‘A vida de Adão e Eva’, conta que Adão, durante a sua última enfermidade, teria mandado o filho Set juntamente com Eva à região do Paraíso buscar o óleo da misericórdia, para ser ungido com este e, assim, ficar curado. Aos dois, depois de muito rezar e chorar à procura da árvore da vida, aparece o Arcanjo Miguel para dizer que não conseguiriam obter o óleo da árvore da misericórdia e que Adão deveria morrer.”

Depois, os cristãos acrescentaram a esta história uma imagem profética de Jesus e o seu “óleo da misericórdia”. Bento XVI explica:

“Mais tarde, os leitores cristãos adicionaram a esta comunicação do arcanjo, uma palavra de consolação. O Arcanjo teria dito que, depois de 5.500 anos, viria o benévolo Rei Cristo, o Filho de Deus, e ungiria com o óleo da sua misericórdia todos aqueles que acreditassem nele. ‘O óleo da misericórdia para toda a eternidade será dado a quantos deverão renascer da água e do Espírito Santo. Então, o Filho de Deus rico de amor, Cristo, descerá às profundezas da terra e conduzirá o teu pai ao Paraíso, para junto da árvore da misericórdia’”.

É uma bela imagem, que se cumpre nos sacramentos do Batismo e da Reconciliação. Neles, os penitentes encontram em primeira mão o “óleo da misericórdia”, que lava os pecados.

Que possamos, então, ver sempre a misericórdia de Deus como um “óleo” que nos cura e nos aproxima mais da união com Deus.

Deus é misericórdia, e quando deixamos sua misericórdia tocar nossas vidas, somos verdadeiramente curados e recebemos a plenitude da vida.

Fonte.: A história por trás do “óleo da misericórdia” (aleteia.org)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.