A solenidade do Coração de Jesus

A Igreja comemora neste dia 11 de junho a solenidade do Coração de Jesus. Qual é a história das aparições? Como foi instituída a festa?

 “Reinarei apesar dos meus inimigos”. Foram estas as palavras que o Sagrado Coração de Jesus dirigiu a Santa Margarida Maria Alacoque no dia 20 de julho de 1685.

Aos olhos deste nosso mundo sem Fé, a mensagem de Nosso Senhor parece ultrapassada. Neste mundo de democracias, quem ousaria falar de reinos? Nesta sociedade que tanto apregoa a paz, quem denunciaria divisões, falando de “inimigos”?

As aparições do Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque contêm uma mensagem para nossos dias. Longe de estar ultrapassada, ela se mostra cada vez mais atual.

Mas quem foi Margarida Alacoque? Como foram as aparições? Como foi instituída a festa do Sagrado Coração de Jesus? O que nos diria o Sagrado Coração de Jesus hoje?

Quem foi Santa Margarida Maria Alacoque?

Margarida nasceu na Borgonha, França, no dia 22 de julho de 1647. Quando era ainda criança, foi acometida por uma doença grave, que a deixou quatro anos sem poder caminhar. Terrível prova para uma menina; mas os sofrimentos, quando bem aceitos, nos aproximam de Deus. Como a medicina da época mostrou-se incapaz de curar a pequena, ela fez uma promessa: se recuperasse a saúde, se tornaria religiosa.

A prece foi atendida quase imediatamente, contudo a família se opôs à entrada no convento. Segundo sua mãe, o voto de uma criança não tinha valor. A incompreensão dos parentes – essa espécie de disputa entre Deus e os homens – se prolongou alguns anos, durante os quais Margarida persistiu firmemente no seu intento. Por fim, no ano de 1671, ela pode entrar no Mosteiro da Visitação, de Paray-le-Monial, fundado por São Francisco de Salles e Santa Joana de Chantal.

Para Margarida Alacoque não existiam barreiras entre o mundo visível e o mundo sobrenatural. Ela conversava com o Céu com naturalidade, como nós tratamos com os amigos.

As graças místicas começaram a encher a vida dela desde a infância. Quando tinha 4 anos, sentia moções da graça tão fortes que, sem entender bem o sentido das palavras, dizia repetidas vezes: “Ó meu Deus, eu Vos consagro minha pureza e Vos faço voto de castidade perpétua”. Ela nem sequer sabia o que era “castidade perpétua”. Entretanto, fiel às vozes interiores, entregou sua virgindade a Nosso Senhor¹ .

Sua missão, porém, foi a de propagar a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. No dia 27 de dezembro de 1673, Margarida recebeu a primeira revelação, enquanto rezava diante do Santíssimo Sacramento. A partir de então, as manifestações de Jesus se tornaram frequentes.

Uma outra alma virtuosa, São Cláudio de La Colombière, prestou enorme auxílio à religiosa, pois ele, além de acreditar nas suas revelações e confortá-la nas provações, foi um dos responsáveis pela propagação da devoção.

Incompreendida muitas vezes pelas autoridades religiosas, tida por visionária e louca por suas irmãs de hábito, a vidente do Sagrado Coração chegou a ser aconselhada a esquecer-se das aparições. Com as revelações, iniciou-se para Santa Margarida uma fase de lutas.

A vida de Santa Margarida foi inteiramente dedicada ao culto do Sagrado Coração. Ela pôde contemplar ainda em vida os primeiros lampejos da sua devoção. Contudo, alguns dos pedidos feitos pelo Sagrado Coração à sua eleita, apesar de transmitidos às pessoas que por encargo deveriam escutá-la, nunca foram atendidos. Ela faleceu no dia 17 de outubro de 1690.

Como foram as aparições do Sagrado Coração?

Santa Margarida teve quatro aparições principais, ocorridas entre 1673 e 1674, nas quais Nosso Senhor manifestou seu desejo de que a devoção ao seu Sagrado Coração fosse propagada.

A primeira aparição foi na festa de São João Evangelista, do ano de 1673. Rezando diante do Santíssimo Sacramento, Jesus disse à vidente: “Meu Coração está tão apaixonado de amor pelos homens, e por ti em particular, que não podendo mais conter em Si as chamas de sua ardente caridade, é preciso que as espalhes e as reveles, para que se enriqueçam com seus preciosos tesouros”. (Alacoque, Op. cit., p. 78)

O efeito destas palavras foi muito forte. A própria Santa Margarida conta que, tomada pela experiência mística, passou vários dias sem conseguir dormir e sem desejo de se alimentar.

Seguiram ainda outras duas aparições – Santa Margarida não precisou a data – nas quais Nosso Senhor, além de pedir que multiplicasse o número de comunhões, revelou-lhe que o que mais causava dor ao Sagrado Coração era a frieza, a indiferença e a rejeição dos homens para com Ele, especialmente por parte do clero e das almas consagradas.²

Como nasceu a festa do Sagrado Coração?

Porém, a principal a aparição ocorreu na oitava da festa de Corpus Christi, no ano de 1674. Mais uma vez estava Santa Margarida rezando na capela do Convento, quando o Sagrado Coração lhe disse: “Aqui está o Coração que tanto amou os homens e que por eles foi tão rejeitado”. (Alacoque, Op. cit., p. 93)

Em seguida, Nosso Senhor pediu à sua eleita que fosse instituída uma festa em honra de seu Sagrado Coração, a ser celebrada na primeira sexta-feira depois da oitava de Corpus Christi: “Eu prometo que meu Coração se dilatará para derramar com abundância as influências de seu divino amor sobre aqueles que Lhe renderem este louvor”. (Alacoque, Op. cit., p. 93)

A festa só foi incluída no calendário litúrgico da Igreja por Pio IX, em 1856, e é celebrada atualmente 19 dias após Pentecostes. Neste ano de 2021, a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus será comemorada no dia 11 de junho.

Fonte.: https://gaudiumpress.org/content/qual-o-significado-da-mensagem-do-sagrado-coracao-de-jesus-hoje/

One Comment

  1. Louvada seja Santa Margarida Alacoque 🙏🏼

    Sagrado Coração de Jesus, fazei que eu vos ame cada vez mais. Amém

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *